Instrutores do CFP2019 visitam o projeto ‘Quebrando Barreiras’

O projeto “Quebrando Barreiras” recebeu a visita de instrutores do Curso de Formação Profissional (CFP2019) da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Foi a primeira vez que receberam convidados de alguma polícia. O trabalho social atende crianças e adolescentes para a prática de jiu-jitsu. A visita aconteceu na quarta-feira (2).

Rodrigo Fagnani, coordenador e adjunto da turma Bravo 6, mobilizou praticantes de jiu-jitsu do Curso de Formação para conhecerem o “Quebrando Barreiras”, que fica ao lado do Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira, no trevo de Canasvieiras, norte da ilha de Florianópolis.

O projeto é coordenado por Eduardo Paulista, um entusiasta residente na Vila União, comunidade próxima que já foi extremamente violenta. Em 2017, foram dezenas de mortes na localidade por causa de uma guerra entre facções, além de conflitos com a polícia. No ano seguinte, contudo, a população local foi alvo da “Operação Mãos Dadas”, coordenada pela Polícia Militar de SC, que derrubou lideranças do crime organizado na região e ocupou a vila num projeto diferenciado de polícia de proximidade.

Eduardo iniciou o “Quebrando Barreiras” para ocupar o tempo ocioso dos jovens com a prática do esporte. Desde então, 80 crianças e adolescentes treinam regularmente no local. O grupo é treinado por Mateus, faixa preta de BJJ e competidor de MMA, que é filho de Eduardo. Contudo, ele teve que mudar de cidade e os treinos com o mestre ficaram restritos a um ou dois eventos mensais. Mesmo assim, a garotada se organizou e os faixas azuis de 15 ou 16 anos passaram a também conduzir os treinos, que acontecem todas as noites, de segunda a sexta-feira, das 19h às 21h.

Os faixas pretas Marcelo Quintanilha e Mateus Marques, coordenador e instrutor do CFP2019, respectivamente, foram acompanhados dos graduados Odilon Filho e Alexandre, ambos instrutores, Rodrigo Fagnani e do aluno S. Santos (Bravo 6). Eles puderam conhecer as histórias dos jovens, vários já campeões no esporte, moradores de comunidades carentes, assim como transmitir um pouco de conhecimento a cada um.

Ao final, o aluno S. Santos deu seu testemunho aos presentes, crianças e adolescentes do “Quebrando Barreiras”. Ele contou tudo que passou para conseguir chegar onde chegou. Vindo de uma família humilde do Acre, mas quando criança teve a mesma oportunidade num projeto social de lutas, cresceu na disciplina e aprendeu que deveria ser persistente, como seus mestres ensinaram, para que pudesse vencer.

Hoje, 22 anos depois, S. Santos conseguiu se formar em Direito e já passou em 11 concursos públicos. Chegou na PRF e está como aluno de uma instituição que sempre quis pertencer.

Os jovens do “Quebrando Barreiras” puderam ver que é possível vencer e transformar a vida mesmo diante de condições desfavoráveis em seu entorno.