Maio Amarelo: PRF realiza operação e reforça trechos considerados críticos em Alagoas para prevenir acidentes

Com caráter preventivo, as ações têm como objetivo fazer com que as pessoas percebam os riscos associados ao trânsito, avaliem suas condutas e preservem a vida

No mês de conscientização sobre a segurança no trânsito, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia nesta quinta-feira (14) a Operação Nacional de Segurança Viária (ONSV). Aliado à temática do Maio Amarelo: “Perceba o risco. Proteja a Vida”, o órgão pretende aumentar o número de policiais na pista até a segunda-feira (18) e transformar ações, fazendo com que “em tempos de pandemia, se for sair de casa, respeite as leis de trânsito”.

O intuito do órgão é que a presença ostensiva dos policiais na rodovia iniba as condutas imprudentes dos motoristas e reduzam os acidentes. Os dados estatísticos usados para definir os 150 trechos do país com maior índice de acidentalidade foram avaliados no período entre 11/03 e 30/04, que já inclui o momento de quarentena que vivenciamos. Em Alagoas, os trechos de kms 220 ao 230 e kms 250 ao 260, pertencentes às cidades de Atalaia e Pilar – na BR 316, registraram quatro acidentes graves, com cinco mortos e dois feridos e receberão o reforço na fiscalização durante a operação.

Considerando a missão da PRF de proteger a vida e promover a segurança nas rodovias brasileiras, o foco dos agentes estará voltado para ações preventivas e educativas. Quaisquer condutas irregulares que possam ocasionar acidentes no trânsito, tais como a desobediência às normas e não utilização dos equipamentos de segurança necessários para a proteção de condutores e passageiros serão observados.

Além de fazer parte do Projeto Nacional de Redução de Mortes (PRNM) e do Pacto Pela Vida proposto pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2011, as ações de conscientização e prevenção a acidentes de trânsito se tornam ainda mais imprescindíveis em meio à crise causada pelo novo coronavírus. Estatisticamente, as vítimas de acidentes ocasionados no tráfego ocupam cerca de 60% dos leitos hospitalares. A redução desse percentual resulta na preservação de vidas e evita a sobrecarga do sistema de saúde.