MAIO AMARELO: PRF reforça campanha de conscientização no trânsito que visa a evitar colapso no sistema de saúde em tempos de pandemia

“Se puder, fique em casa, mas se tiver que sair respeite as leis de trânsito” é a campanha do órgão que reforça o tema do Movimento Maio Amarelo 2020: “Perceba o risco. Proteja a vida”

Muitos têm sido os alertas sobre colapso no sistema de saúde em razão do crescente número de pessoas infectadas com novo coronavírus. Quarentena domiciliar é uma das saídas para “desafogar” as unidades de saúde, que precisam ter disponíveis leitos, recursos humanos e materiais para o tratamento dos doentes. Pensando nisso, é que a Polícia Rodoviária Federal (PRF) reforça, durante todo o mês de maio, a campanha de conscientização “Se puder, fique em casa, mas se tiver que sair respeite as leis de trânsito”.

Mas o que tem a ver percepção dos riscos no trânsito com enfrentamento à pandemia? A desobediência às normas do Código de Trânsito Brasileiro – CTB muitas vezes é responsável pela ocorrência de acidentes, que por sua vez podem resultar em feridos ou até mesmo mortos.

O acidentado, quando encaminhado ao hospital, ocupará um leito e mobilizará profissionais que poderiam atuar diretamente no tratamento de pacientes com a COVID-19. Além disso, vítimas de acidentes podem se tornar potenciais infectados com o novo coronavírus em razão da exposição ao vírus no ambiente hospitalar.

O alerta da PRF ganha força depois de um levantamento feito pela instituição no estado de Goiás apontando que os índices de infrações de trânsito, acidentes e, especialmente, de mortos, continuam altos apesar da redução na circulação de veículos.

ESTATÍSTICA – É fato que as medidas preventivas de contaminação e disseminação do novo coronavírus impactaram no fluxo de veículos circulando nas BRs, assim como também fizeram cair o número de acidentes.

A PRF registrou, no período de 11 de março a 20 de abril, 190 acidentes (sendo 51 considerados graves), que deixaram 197 pessoas feridas e levaram 14 pessoas a óbito nas rodovias federais que passam por Goiás. No mesmo período do ano passado foram registrados 272 acidentes (68 graves), 353 feridos e 16 mortes.

Reduções nas infrações de trânsito também foram constatadas. As ultrapassagens proibidas caíram de 1.186 no ano passado para 767 este ano e a falta do cinto de segurança foi flagrada em 1.909 ocasiões em 2019 e 1.088 agora em 2020.

Apesar da redução de todos os índices, a expectativa era de que, com a diminuição no fluxo de veículos, a queda fosse ainda mais significativa, principalmente na gravidade dos acidentes e na quantidade de infrações cometidas. A preocupação da PRF é de que os usuários das rodovias estejam aproveitando as estradas mais vazias para desrespeitar as normas. Por isso, não custa reforçar a importância da obediência às leis de trânsito estando ou não em meio à pandemia do novo coronavírus.

Secom.GO

Superintendência Regional da PRF no Estado de Goiás, estabelecida desde 1959. Hoje conta com 7 delegacias, 13 postos de fiscalização em mais de 3.000 km de malha viária no estado.