PRF encerra “Operação Tupã” dando prejuízo ao narcotráfico e receptadores de veículos roubados

Realizado entre os dias 30 de abril e 2 de maio, o trabalho ostensivo e orientado por informações de inteligência da operação buscou incrementar o enfrentamento qualificado à criminalidade e aumentar da percepção de segurança nas rodovias

As atividades de combate à criminalidade orientadas por de inteligência da “Operação Tupã”, encerrada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) neste sábado (02), frustrou ações criminosas em todo o país. Realizada entre os dias 30 de abril e 2 de maio, a operação foi marcada pelo registro de mais de 10,7 toneladas de maconha e 86 veículos recuperados. 514 pessoas foram detidas por diversos crimes.

Nos três dias de reorientação do policiamento, cerca de 7,5 mil policiais rodoviários federais e mais de 850 viaturas foram mobilizados para a operacionalização da Tupã em mais de 598 pontos de fiscalização nas BRs de todo o país.

A Operação Tupã teve como objetivo incrementar o enfrentamento qualificado à criminalidade e aumentar a percepção de segurança nas rodovias. Durante as ações, apesar da redução no número de veículos em circulação, a ostensividade das equipes resultou na fiscalização de cerca de 14,4 mil pessoas e 11,5 mil veículos.

A denominação Tupã, que na língua tupi-guarani significa trovão, refletiu bem a forma de atuação das centenas de policiais empregados na operação, que teve como característica a ostensividade e abordagens mais assertivas, fruto do processo de reorientação da atividade de policiamento, que possou a ser orientada por inteligência.

As ações resultaram, entre o dia 30 de abril e 1º de maio, em 514 pessoas detidas por diversos crimes, 112% a mais se comparado ao mesmo período do ano passado, o que equivale à 7 pessoas sendo presas a cada hora. Destaque para o número de veículos recuperados, foram 86 veículos contra 11 em 2019, um acréscimo de 682%. Ainda, cerca de 10,7 toneladas de maconha e 65,5 quilos de cocaína foram retirados de circulação, além de apreendidos 253.150 maços de cigarros contrabandeados.

Duas ocorrências chamaram a atenção pela peculiaridade. Foram apreendidos 11.7 quilos de ouro maciço no Pará e 1.590 pedras de diamante em Rondônia.

Para o combate, especialmente, de crimes como o tráfico de drogas, o contrabando de cigarros e crimes violentos, a Operação Tupã foi pautada, além de informações qualificadas de inteligências, por dados estatísticos consolidados. Além disso, a operação também contou com policiais capacitadas e especializadas, emprego de técnicas avançadas de policiamento, tecnologia e a expertise dos PRFs, conscientes da missão institucional de proteger a sociedade.

Confira algumas das ocorrências: