PRF faz balanço semestral de acidentes de trânsito em Roraima e números apontam redução de ocorrências

Quantidade de acidentes reduziu em -8,33% e número de vítimas mortas diminuiu -21,4%.

Com o fim do primeiro semestre deste ano, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou o balanço semestral comparativo dos períodos de 2017 e 2018 a fim de analisar dados para o direcionamento de suas ações. As informações foram extraídas do Sistema de Informações Gerenciais da PRF (Siger) referente às rodovias federais existentes em Roraima.

Em relação à quantidade geral de acidentes registrados nos primeiros semestres dos dois anos, houve redução de -8,33% em 2018. Foram 11 ocorrências a menos se comparado ao mesmo período do ano passado. O número de pessoas mortas em decorrência de acidentes nas rodovias federais roraimenses também diminuiu em -21,4%, de acordo com o comparativo.

 

A maior parte dos incidentes de trânsito ocorrem na BR-174, principal rodovia que liga o estado à Venezuela e ao Amazonas. Em seguida, vem a BR-401, interligando os municípios de Boa Vista e Bonfim à Guiana. A BR-432, que segue pelos municípios de Bonfim, Cantá e Caracaraí, aparece na sequência em quantidade de ocorrências. Os índices apontam diminuição de acidentes tanto na BR-174 quanto na BR-401, mas houve aumento de registros na BR-432 em 2018.

Segundo o balanço comparativo, a maior parte dos acidentes acontecem no perímetro urbano de Boa Vista, capital de Roraima, onde há maior fluxo de veículos. O trecho da BR-174 que vai do quilômetro 498 (Distrito Industrial) até o km 510 (fim da Avenida Venezuela) é onde ocorrem a maioria dos sinistros de trânsito. O perímetro urbano da BR-401 (Avenida das Guianas) também contém a maior parte dos registros nessa rodovia. Já na BR-432, os acidentes acontecem no trecho que vai do km 190 (Cantá) até o km 212 (entroncamento com a BR-401).

A principal causa de acidente nessas vias federais tem sido falta de atenção à condução, englobando cerca de 38% das ocorrências. A ação se refere à imprudência de motoristas e também à situações que não estão devidamente expressas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Condutas previstas no artigo 169 do CTB – dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança – também estão nesse contexto.

Em segundo lugar, com índices menores, está a ingestão de álcool por motoristas como causa das fatalidades. Ao todo, foram registrados 15 motivos dessa natureza em 2018, o que corresponde à 12,3% do total de acidentes neste ano. Na sequência estão a desobediência às normas de trânsito pelos condutores e falta de atenção dos pedestres. Essa última também tem ligação com a ingestão de álcool por pessoas que caminham pela rodovia.

Os dados apontam ainda que os acidentes ocorrem com maior frequência nos finais de semana. Ações de fiscalização na partida e no retorno dos veículos (sexta-feira e segunda-feira) apresentaram redução de acidentes nesse período, mas há aumento no domingo por condutores que utilizam o perímetro urbano das rodovias federais em Boa Vista.


Núcleo de Comunicação da PRF-RR