PRF lança Operação Rodovida em todo o Brasil

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) lançou, nesta sexta-feira (22), a sétima edição da Operação Integrada Rodovida, grande ação de enfrentamento à violência no trânsito brasileiro que conta com a participação das três esferas de governo. O lançamento ocorreu na Unidade Operacional da PRF em Anápolis e contou com a presença do Ministro das Cidades, Alexandre Baldy, do Diretor-Geral da PRF, Renato Borges Dias, do Diretor-Geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres, Jorge Luiz Macedo Bastos, do Diretor do Departamento Nacional de Trânsito, Maurício José Alves Pereira, dentre outras autoridades.

Criada em 2011, a Operação Integrada Rodovida é uma ação do governo federal, capitaneada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da PRF, em integração com os Ministérios das Cidades, da Saúde e dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

De acordo com o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, essa é uma operação muito importante que tem o objetivo de proteger a vida dos brasileiros. “Esse é um importante programa, que há sete anos, a PRF integra e interage, unindo a outros órgãos e instituições, para defender, conscientizar e, acima de tudo, proteger a vida de cada brasileiro”, destacou.

Na última edição da operação, a PRF registrou uma redução de 29% no número de acidentes graves nas rodovias federais. O número de óbitos decorrentes destes acidentes também caiu – redução de 16% de 2015 para 2016.

Para o Diretor-Geral da PRF, Renato Borges Dias, é importante que os órgãos promovam de forma efetiva essa integração em qualquer das esferas do poder, mas principalmente na esfera federal, que precisa dar o exemplo. “E esse é o exemplo que a PRF tem dado buscando parcerias inéditas e consolidando resultados. Não importa quem realiza a ação, o que importa é a entrega social. O resultado de excelência prestado à sociedade e à população brasileira”, afirmou o diretor.

Ainda segundo Renato Dias, a Operação Integrada Rodovida envolve quatro ministérios e órgãos estaduais, cada um com seu papel, de mãos dadas com um grande desafio. “Em 2016, tivemos uma redução nos óbitos e acidentes. O resultado é significativo, porém, o número de óbitos ainda é alarmante. Nessa situação conclamo a sociedade e os motoristas, pois não adianta todos os órgãos buscarem ações para vencer a violência no trânsito, fazendo cada um seu papel, se o motorista não tiver sua consciência de saber que para pegar o automóvel precisa ter muita responsabilidade e atenção. Dessa forma todos venceremos”, concluiu.