PRF orienta população sobre indícios de trabalho escravo

Em comemoração ao Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) orientou a população sobre indícios de trabalho escravo, na Praça do Expedicionário, localizada em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A ação aconteceu nesta segunda-feira (28) e mais de 500 pessoas foram sensibilizadas.

Durante a manhã, policiais rodoviários federais participaram do I Seminário de Municipalização da Agenda de Erradicação do Trabalho Escravo no Estado do Rio de Janeiro, promovido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e de Direitos Humanos, na Biblioteca Municipal de Duque de Caxias. Foram discutidos estratégias de prevenção e conscientização sobre o trabalho escravo contemporâneo com objetivo de erradicar essa prática.

Estiveram presentes órgãos que fazem parte do Comitê Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (CETP-RJ) e da Comissão Estadual para a Erradicação do Trabalho Escravo (COETRAE-RJ).

Na parte da tarde, a PRF montou um posto móvel na praça, em frente à biblioteca, e realizou uma ação de mobilização da população. Foram abordados os transeuntes para exibição de vídeo e uma breve conversa de sensibilização e distribuição de material informativo sobre o assunto. A campanha foi de ação preventiva e teve como objetivo orientar a sociedade sobre os indícios de trabalho escravo.

Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo

A data foi criada em 2009 para homenagear os auditores fiscais do trabalho Erastóstenes de Almeida Gonçalves, João Batista Soares Lage e Nelson José da Silva e o motorista Ailton Pereira de Oliveira, que foram assassinados em 28 de janeiro de 2004 durante inspeção para apurar denúncias de trabalho escravo em fazendas da região de Unaí (MG), episódio que ficou conhecido como Chacina de Unaí.