Reforço operacional marca o 1º dia de ações da “Operação Tupã” da PRF

Com foco no combate ao crime no contexto da crise de saúde COVID-19 e realizada em todo o Brasil, a Tupã contabilizou um incremento de 30% nas horas de atividades operacionais

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) deflagou, nesta quinta (30), a “Operação Tupã”. Trata-se de uma operação com mobilização nacional para o combate ao crime. Até amanhã (02), serão intensificadas as ações de policiamento orientadas por inteligência policial. No primeiro dia de atividade, o órgão mobilizou cerca de 2.500 agentes, em 155 pontos de fiscalização em todo o país. O reforço qualificado do efetivo resultou num incremento de 30% nas atividades operacionais.

O objetivo da Operação Tupã é incrementar o enfrentamento qualificado à criminalidade e aumentar a percepção de segurança nas rodovias federais. Apesar da redução no número de veículos em circulação, a ostensividade das equipes resultou na fiscalização de cerca de 4 mil pessoas e 3 mil veículos.

Mesmo com o incremento nas atividades operacionais, os agentes da PRF, na linha de frente do combate à crise de saúde provocada pela COVID-19, estão atendendo à todas as orientações de saúde, fazendo uso de equipamentos de segurança como luvas e máscaras de proteção, além da realização da assepsia de viaturas e equipamentos operacionais.

A denominação Tupã, que na língua tupi-guarani significa trovão, reflete a forma de atuação das centenas de policiais empregados na operação, caracterizada pela ostensividade e abordagens mais assertivas, fruto do processo de reorientação da atividade de policiamento, que passa a ser orientada por inteligência. Nesse primeiro dia, foram apreendidos maconha, cigarros contrabandeados, armas e munições. Veículos foram recuperados e mais de cem pessoas foram detidas.

Para o combate, especialmente, de crimes como o tráfico de drogas e armas, o contrabando de cigarros e crimes violentos, a Operação Tupã vem sendo pautada, além de informações qualificadas de inteligências, por dados estatísticos consolidados. Além disso, a operação conta com equipes capacitadas e especializadas, emprego de técnicas avançadas de policiamento, tecnologia e a expertise dos policiais, conscientes da missão institucional de proteger a sociedade.