Você está aqui: Página Inicial / Processo Eletrônico / Sistema eletrônico de informações - SEI / Principais mudanças na PRF

Principais mudanças na PRF

A implantação do processo eletrônico na PRF prevê que qualquer processo autuado a partir de 4 de janeiro de 2016 será autuado de maneira eletrônica no SEI. As funcionalidades do atual Sistema Protocolo e Arquivo – SAP serão desativadas, ficando somente abertas funcionalidades de consultas e tramitação para o arquivo.

 

Todos os processos que estarão em fase corrente, em tramitação nas unidade e que foram iniciados em papel, deverão ser digitalizados, cadastrados no SEI na próxima tramitação e serão encerrados, com a inclusão do termo de encerramento de tramitação física e enviados para arquivamento na área de documentação da respectiva unidade regional de origem.

A digitalização será dispensada somente para os processos cuja próxima movimentação seja para arquivamento na área de documentação. O SEI permite que qualquer unidade possa autuar um processo, porém cada área negocial estabelecerá as regras pertinentes.

O processo poderá ser enviado para mais de uma unidade ao mesmo tempo e todas poderão trabalhar ao mesmo tempo, sem que uma precise esperar a outra terminar a fase que lhe cabe.

Várias pessoas poderão trabalhar em um mesmo processo e assinar o mesmo documento, através de login e senha do sistema ou, se necessário, usando um certificado digital.



O processo será acessível para visualização, alteração e ou assinatura a qualquer tempo e de qualquer lugar, basta ter acesso à internet e navegador compatível.



Qualquer documento de um processo poderá ser localizado rapidamente através dos mecanismos de pesquisa do SEI.


Informações de localização, atribuição e alterações do processo são registradas no histórico e poderão ser auditadas a qualquer momento. Documentos como termos de autuação, juntada ou de abertura de volume deixarão de existir. Alguns carimbos, como de numeração de páginas ou de folhas em branco, não serão mais usados. Outros terão seu uso adaptados (através de documentos próprios ou modelos de autopreenchimento).




      Não necessidade de que um procedimento esteja mapeado para tramitar no SEI, porém, é altamente recomendável que ele seja feito para que se obtenha o máximo da ferramenta.


registrado em: